Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 17 de outubro de 2009

(.:|PEITO CANALHA|:.)

(.:|PEITO CANALHA|:.)

Não que o valha...
O cheiro é forte, e pelo quarto
Se espalha
Bem como o gosto de mamilo
Em minha língua
Creio que o meu, do mesmo modo
Em ti, e à míngua
Mata de sede este teu ventre
Ninho meu

Que hoje me acolhe
Tal qual como prometeste
Eu que te adentre
Embora outro o dono teu

E já que agora é hora minha
Ao desfrutar
Que seja intenso, seja insano
O Gozo meu

E o que te cabe é suspirar
Ir recordando o tudo feito
Então te aninha...

... Mas noutro peito

A hora minha é hora ida
E ido sou
Deixo da hora minha o gosto
Que restou
E outros sabores
Que meu corpo te deixou.


(.:|Ricardo Vieira|:.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por registrar sua impressão.

Pratique a Digitação